Sobre a Cirurgia na Criança e Anestesia
Home Informativo Cirurgia Pediátrica
Sobre a Cirurgia na Criança e Anestesia

Como já havia escrito, uma criança com necessidade de um tratamento cirúrgico é um fator que deixa toda a família apreensiva. Os médicos trabalham em equipes multidisciplinares, e principalmente aqueles que trabalham com crianças e cirurgias, têm um cuidado ainda maior com este pequeno paciente. 


Todo relacionamento é baseado na confiança, na equipe, na indicação, no tratamento e principalmente no resultado. Para isso, é muito importante solicitar orientação do Cirurgião Pediátrico quanto ao processo cirúrgico, deve-se esclarecer todas as dúvidas e ter confiança na equipe que trabalha com ele. Essa segurança deve ser passada à criança, entendendo sua fragilidade, e explicando o que será realizado conforme a faixa etária e a capacidade da mesma de absorver este conhecimento, evitando qualquer expressão que cause medo ou tensão.


A maioria das cirurgias pediátricas são ambulatoriais, ou seja, os pacientes costumam ter alta no mesmo dia, e o tempo de permanência previsto no hospital será explicado na consulta. Muitos pais se preocupam com os exames pré-operatórios, na verdade, em crianças sem doenças importantes associadas, não há necessidade de exames pré-operatórios de rotina, principalmente nas cirurgias ambulatoriais.  


A maioria absoluta dos procedimentos em crianças é realizada com o auxílio do Médico Anestesista para anestesia geral. A consulta pré-anestésica, com o mesmo, é fundamental para as orientações, para que ele avalie a criança e para sanar as dúvidas dos responsáveis. Não existe teste seguro e fidedigno para avaliar alergia ou qualquer tipo de reação à anestesia, por outro lado os anestesistas que atendem as crianças estão habituados a lidar com qualquer complicação anestésica, que é por si bastante rara, da ordem de 1 caso em 20.000 anestesias. A  parte mais difícil, ainda que fundamental, é o jejum pré-operatório, o qual será orientado pelo anestesista. O jejum costuma ser de 8h ou 6h para sólidos e 2h para líquidos claros. 


No dia da Cirurgia a criança deve internar aproximadamente 1h antes, para que seja preparada. Em alguns hospitais a criança recebe uma medicação pré-anestésica, um sedativo, que a deixa mais calma para entrar na sala de cirurgia. Em outros, um dos pais permanece com a criança na sala de cirurgia até que adormeça com anestesia inalatória ( o famoso "cheirinho")  ou venosa  conforme a determinação do Médico Anestesista. 


Ao término da Cirurgia, os pais são orientados sobre os cuidados e os motivos para atenção. Em relação ao repouso domiciliar, normalmente é de 1 semana para maioria dos procedimentos, e 3 semanas para esportes e atividades físicas mais intensas. Obviamente, esta conduta é dependente do tipo de cirurgia e do paciente.


Obs: fotos da internet






COMPARTILHE:



Mais lidas
Fimose
É a incapacidade de expor completamente a glande. Expor a glande significa, conseguir “descobrir”, a extremidade do…
Hérnia Inguinal e Hidrocele
Hérnia inguinal na criança é a saída de uma víscera ( intestino, trompa, ovário,etc.), ou parte dela, da cavidade abdominal…
Sobre a Cirurgia na Criança e Anestesia
Como já havia escrito, uma criança com necessidade de um tratamento cirúrgico é um fator que deixa toda a família apreensiva.…